Exposição 2018.02 – A resistência e as lutas por um novo olhar para a loucura – 03/05/2018

(Transcrito do Cartaz)

A Exposição ‘A resistência e as lutas por um novo olhar para a loucura’ trata da leitura sobre o universo da saúde mental e da loucura a partir da perspectiva de mulheres e homens, usuários e não usuários do Centro de Atendimento Psicossocial – CAPS, do município de Fortaleza no qual registraram, através de linguagens artísticas distintas, como pinturas e esculturas, suas angústias, esperanças e resistências cotidianas.

A Exposição ressignifica o tema da loucura ao proporcionar o deslocamento de imagens e concepções tradicionalmente estereotipadas e equivocadas sobre os usuários do sistema público, como pessoas passivas o desconectadas com o mundo. Ao invés disso, ela possibilita oferecer a visibilização de sujeitos atuantes, inseridos em duas vivências subjetivas e coletivas, de maneira consciente e contestatória acerca das diversas questões do mundo em que os cerca.

As artes, nesse sentido, tornam-se importante instrumentais transformadores, tanto na perspectiva individual como coletiva na medida em que, ao mesmo tempo em que potencializam nos artistas a reelaboração de suas vidas, possibilitam, na sociedade, a desconstrução e construção de novos significados dados ä saúde mental.

A Exposição ‘A resistência e as lutas por um novo olhar para a loucura’ objetiva estabelecer diálogo sempre frutífero e nunca finalizado entre arte, sociedade, cultura e política, ao dar voz aos homens e mulheres, historicamente silenciados.

Compõem em seu acervo as obras do/as artistas: J.W, Crispim, Sal, Osmarina de Sousa Rodrigues, Milvando Peixoto e da participação da artista Camila Santos Sousa, em reflexão sobre o 18 de Maio, dia nacional da Luta Antimanicomial, data em que se discute a necessidade da construção de uma sociedade em que elabore outras formas de lidar com a saúde mental, a saber, de maneira mais livre, criativa, inclusiva e pública.


Artistas

Camila Sousa
Sal
J.W. Crispim
Milvando Peixoto
osmarina Rodrigues

Curadores da Exposição

Cláudia Freitas de Oliveira (Depto de História – UFC e membro do Fórum Cearense da Luta Antimanicomail – FCLA)
Raimundo Nonato Lima (Psicólogo do CAPS IV)

Exibir: subpáginas.