Formação e ampliação de saberes: as visitas técnicas da equipe MAUC

6 de agosto de 2019

No primeiro semestre de 2019 a equipe do Museu de Arte da UFC (servidores, bolsistas, estagiários, voluntários e terceirizados) participou de diversas visitas técnicas, parte do programa de capacitação institucional implementado pela direção, que visa a ampliação de repertórios culturais a partir do contato com outras realidades institucionais. A ação, denominada “Formação Interna”, teve início na Casa de José de Alencar, em fevereiro, momento em que a equipe conheceu a realidade do espaço, visitando exposições e espaços de guarda de acervo.

Ao todo, ocorreram seis visitas técnicas: à Casa José de Alencar, já mencionada, à Caixa Cultural Fortaleza, ao Museu da Fotografia, ao Espaço Cultural da UNIFOR, à Galeria Multiarte e à Seara da Ciência. Em todos esses espaços, os integrantes da equipe vivenciaram uma experiência de visita especial: além de conhecer os espaços expositivos, tiveram acesso ao funcionamento das instituições, conhecendo os seus funcionários e, em alguns espaços, a organização dos diferentes setores.

No Museu da Fotografia, o grupo foi recepcionado pelo Setor Educativo, que apresentou as exposições – a de longa duração e a temporária “Orixás”, com fotografias de Pierre Verger – além de visitar a biblioteca do museu, especializada em fotografia, e conhecer um pouco sobre as ações educativas e de acessibilidade.

No Espaço Cultural da UNIFOR, a equipe foi recepcionada pelo Educativo, que conduziu uma visita mediada às exposições “Da Terra Brasilis à Aldeia Global” e “Arte Moderna na Coleção da Fundação Edson Queiróz”. A instituição, referência em arte brasileira, possui uma rica coleção e contribui para o acesso ao público do Ceará a uma ampla lista de nomes das artes plásticas.

Espaço Cultural UNIFOR

Já na Galeria Multiarte, a visita foi marcada pelo contato com a obra do importante artista Cândido Portinari e o seu universo gráfico. Em inúmeros desenhos, a atual exposição da Galeria evidencia a prática artística de um dos grandes nomes da arte brasileira no século XX. A recepção e visita mediada à exposição foi feita por Victor Perlingeiro, diretor da Multiarte, que além de abordar a temática da exposição, tratou de outros temas relativos à arte e ao papel das galerias no universo artístico de Fortaleza e do Brasil. Beatriz Perlingeiro, também diretora da Galeria, apresentou o programa educativo da instituição, enfatizando as ações que buscam atrair a sociedade, especialmente as famílias.

Por fim, no dia 2 de agosto, foi a vez de conhecer a Seara da Ciência, museu de ciências e tecnologias da UFC. Localizado na entrada do Campus do Pici, a Seara se caracteriza pelo perfil interativo e experimental de sua exposições, com objetos e equipamentos que incitam os visitantes ao contato com diferentes campos científicos, com foco em Física, Química e Biologia. A equipe do Museu de Arte foi recepcionada pelo time de educadores do espaço, que apresentaram as exposições, experimentos químicos e laboratórios utilizados para aulas e práticas científicas.

A voz da equipe

Espaço Cultural UNIFOR

Em todos os espaços visitados, o público alvo da ação – a equipe do MAUC – experimentou diferentes propostas e entrou em contato com uma diversidade de temas, que mostram a riqueza do universo museológico de Fortaleza e também dos agentes que o constroem. Para Carlizeth Campos, técnica em administração, “Conhecer o trabalho realizado pelas instituições que visitamos foi muito enriquecedor pra mim, pois agregou à minha vida profissional novas possibilidades de atuação artístico-cultural e ampliou bastante minha visão de mundo sobre a cultura e a arte que vem sendo disseminada no nosso Estado. Uma experiência maravilhosa!”.

Qualificando a proposta como “valorosa”, a administradora do MAUC, Helem Cristina Ribeiro, destaca a importância das atividades “Do ponto de vista profissional, se configurou como uma boa oportunidade para pensar questões que permeiam o nosso trabalho, principalmente no que tange o atendimento do público. Além disso, ver diferentes perspectivas de gestão e como elas são trabalhadas é enriquecedor. Não se pode deixar de falar também que existe um crescimento pessoal intrínseco, pois mesmo se tratando de uma visita técnica, a arte tem esse poder de dialogar com nosso eu e com nossas visões de mundo de forma singular, nos transformando a cada encontro com ela.”, finaliza.

Ana Lígia Costa, estudante de História da UECE e estagiária do MAUC, após visitar a Galeria Multiarte, destacou a relevância de conhecer uma galeria, que tem perspectiva diferente de um museu, bem como a oportunidade de ter acesso a obras de Portinari.

A diretora do MAUC, museóloga Graciele Siqueira, destaca que as visitas a outras instituições culturais formam um dos eixos da política interna de qualificação da equipe. Segundo ela, “Para muitos, estas visitas técnicas são oportunidades de adentrar a estes espaços pela primeira vez e conhecer um universo distinto do seu. Não posso mensurar o impacto na vida pessoal de cada integrante da equipe e como estas visitas reverberam em seus ambientes familiares, no entanto, em termos profissionais acredito que ao visitar estes equipamentos, o profissional se abre para novas experiências, novos olhares e uma compreensão maior de outros modelos de atuação e gestão, que podem ou não se cruzar, com os modelos adotados pelo Mauc.”.

Seara da Ciência

Seara da Ciência