Os Fundadores e a Arte no Ceará 

29 de junho de 2018

Foto: Ribamar Neto

Aberta à visitação pública no último dia 25 de junho, em comemoração aos 57 anos do MAUC, a sala de Arte Cearense ou de Arte no Ceará surge do desmembramento, em 2018, da sala denominada Os Fundadores, criada em 2014 para atender a demanda dos grupos escolares que ao visitarem o museu sempre solicitavam acesso às obras de Estrigas, Sérvulo, Nice, Heloysa Juaçaba, Zenon, Barrica… A partir destas demandas criamos uma sala com obras de artistas que atuaram no MAUC nos anos iniciais da fundação. No entanto, tínhamos consciência da “dívida” com artistas “mais jovens” nas salas especiais do museu.

Então, em 2018, decidimos repensar nosso circuito de salas coletivas e ampliar a oferta de obras no espaço e optamos por simplificar e condensar a sala Os Fundadores a partir de uma remontagem tomando como ponto de partida a imagem do fundador do museu, Prof. Martins Filho e de artistas plásticos que atuaram como agentes de formação e criação do MAUC: o maranhense Floriano Teixeira, primeiro diretor do Mauc e responsável pela formação da coleção de xilogravura e pela ligação do museu com artistas baianos, assim como os cearenses Heloysa Juaçaba que atuou na aquisição de peças de cultura popular nordestina e Sérvulo Esmeraldo que participou da divulgação da coleção de xilo na Europa e na aquisição da coleção estrangeira.

Foto: Ribamar Neto

A partir da remontagem da primeira sala coletiva do museu, repensamos a sala cearense com nomes de artistas nascidos ou naturalizados cearenses que compõem o acervo do museu desde os anos iniciais até a atualidade, assim como nomes de artistas que expuseram no Salão Nobre da Reitoria entre 1957 e 1960, período que antecede a criação do MAUC. Outro ponto que colocamos como critério para o processo de concepção da sala deve-se à participação destes artistas em exposições realizadas aqui no museu. Assim, a sala Arte Cearense mescla, litogravura, xilogravura, pintura a óleo e escultura.

Dos anos que precedem à criação do museu, destacamos Vicente Leite, Barrica e Estrigas pela participação em exposições no Salão Nobre da Reitoria, entre 1957 e 1961. Nas décadas de 60 e 70, Adhemar Albuquerque, Nice, Daisy Grieser, Barboza Leite, Zenon, Nearco, Alberon, Sérgio Lima, José Fernandes, J. Figueiredo e Otto Cavalcanti. Nos anos 80, Roberto Galvão e José Guedes e na década de 90, José Tarcísio, Barrinha, Jorge Luís e Carmelita.

Dos anos 2000 até a atualidade, destacamos Sebastião de Paula, Francisco de Almeida, Nogueira e  Stênio Burgos. Como anfitriões da sala, as esculturas atemporais de Zé Pinto representando Dom Quixote e Maria Bonita!

A Sala Arte Cearense, assim como todas as outras do museu, permite a ampliação e o acréscimo de outras obras e artistas, seguindo uma política de renovação das salas. Além da sala física, a proposta é trazermos em destaque no site e nas redes sociais a memória das exposições destes 26 artistas cearenses no MAUC.

Fica o convite a uma visita ao MAUC!

Link para as fotos da reabertura das salas:
Solenidade de Reabertura da Sala Arte Cearense